Avaliação Presencial e Avaliação Online – O “exactamente assim” (ou não)

Concordo em boa parte com a tua análise, excepto no que se refere a “exactamente assim”. Nada é “exactamente assim” entre o mundo físico e o mundo virtual, nada é “exactamente assim” entre o ensino presencial e o ensino online. Neste passo de reconduzir o novo ao já conhecido (boa estratégia), de pensar a novidade à luz da experiência (boa estratégia, de novo), é preciso ter o cuidado de não apagar as diferenças e as especificidades, mesmo se a níveis mais gerais ou de um certo ponto de vista as coisas são similares (má estratégia). Isso traz eventualmente mais segurança e paz de espírito, mas pode fazer-nos perder o essencial do que é novo, junto com as oportunidades que lhe estão associadas.

Há, pelo menos, duas diferenças fundamentais entre o ensino presencial e o ensino online no universo da educação/formação de adultos no que se refere a estas questões das estratégias e modos de avaliação:

– o ensino presencial tem sido e continua a ser orientado por abordagens pedagógicas tradicionais (não falo das excepções, por o serem); o ensino online tem-se caracterizado pela utilização de abordagens socio-construtivistas, de natureza colaborativa (não falo das aldrabices, por o serem);

– a dimensão e diversidade dos elementos disponíveis para efeitos de avaliação (o sampling do desempenho dos estudantes/formandos, para usar um termo catita) e do material disponibilizado por outros, pares e professores/formadores, que posso utilizar como contraponto de análise ou como feedback do meu próprio desempenho é incomparavelmente maior no ensino online do que no presencial, pela natureza e nível das interacções – quase tudo o que se faz/diz no online fica registado, exactamente como se passou, e pode ser consultado uma e outra vez; no presencial, muito do que se passa e diz opera na esfera da oralidade, muito mais evanescente do que o registo escrito. Além de que, pela sua natureza digital e ubíqua, o contexto online é percepcionado e funciona muito mais como um espaço público e partilhado do que o contexto presencial. Só para dar um exemplo relativo a este aspecto, onde é que num contexto presencial as pessoas conhecem e comentam a maioria dos trabalhos dos seus colegas?

josemota

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *